A exposição CHAMANDO ELA ROMA trouxe à capital italiana o trabalho de transmutação moda-fotografia-cultura digital da artista e performer Sheila Ribeiro e dos fotógrafos Tiago Lima e João Meirelles. Sheila e Tiago hospedaram-se conosco. Vieram também o antropólogo Massimo Canevacci e a fotógrafa Mica Tomeo. 

O objetivo do evento foi lançar o livro CHAMANDO ELA, que reúne 138 fotografias das performances da Sheila. Organizado em capítulos que correspondem a editoriais de moda, a obra aborda o cruzamento de universos distintos e "não naturalmente misturáveis", mas já "necessariamente contaminados". Assim, por exemplo, a artista é flagrada fazendo cooper em um aeroporto, descendo de rapel em um viaduto grafitado ou passeando pelas ruas de Salvador "montada" de baiana. 

O lançamento foi realizado em 25 de junho. Além de exposição reunido imagens do livro em fotos e banners, o evento também contou com a palestra-performance "Ubiquidades Sincréticas", realizada pelo Massimo e pelo excepcional músico eletrônico Martux-m. 

O tema da palestra-performance foi o conceito de "ubiquidade sincrética", que se refere às transformações que ocorrem permanentemente na cultura e na arte em função de interações sociais "glocais" - a um só tempo globais (interconectadas a todo o mundo por smartphones, tablets e congêneres) e locais (circunscritas a determinado espaço geográfico). Sua realização foi fundamental para contextualizar o público em relação aos editoriais do livro CHAMANDO ELA. 

Após o evento de lançamento, as fotos do livro ficaram expostas em nossa casa, até o dia 20 de julho. A visitação foi gratuita e com hora marcada. 

 

Fotos de Tiago Lima, Mica Toméo e André Cortez.